10 de Agosto de 2022

CL não é obrigada a fazer seguro de vida para passageiros, diz advogado

Na manhã desta terça-feira (29), Manoel Pinto, o advogado da empresa CL Transporte Marítimo, responsável pela embarcação Cavalo Marinho I, que naufragou no último dia 24 e deixou pelo menos 19 pessoas mortas, afirmou que a embarcação estava regular e que foi vistoriada pela Capitania dos Portos no dia 20 de agosto.
 
Na manhã desta terça-feira (29), Manoel Pinto, o advogado da empresa CL Transporte Marítimo, responsável pela embarcação Cavalo Marinho I, que naufragou no último dia 24 e deixou pelo menos 19 pessoas mortas, afirmou que a embarcação estava regular e que foi vistoriada pela Capitania dos Portos no dia 20 de agosto.
 
"Os cinco barcos da empresa estão em regularidade. Todos estão em perfeita ordem de embarcação e de uso. Isso é confirmado pela Capitania. Acontece inspeções rotineiras, como aconteceu em agosto. Podemos ajudar a vencer esse momento, atribuir responsabilidade sim, mas culpa não. Agora é ajudar todos, vencer o momento e voltar a vida normal dentro do possível", disse ao apresentador José Eduardo, na rádio Metrópole.
 
Ainda segundo o advogado, a lei não obriga a empresa a realizar seguros de vida para os passageiros e nenhuma seguradora tem interesse no negócio. "Na embarcação a exigência legal não existe, o seguro obrigatório não existe. O convencional, infelizmente, nenhuma seguradora se arrisca a fazer. Todas (as seguradoras) foram consultadas várias vezes e não se obteve resultado de apólice nesse sentido. Os coletes estavam armazenados da forma adequada", argumentou.
 
 
 
Fonte: Bocão News
Whatsapp

Ultimas notícias

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos