03 de Julho de 2022

Servidores da Funai fazem paralisação para cobrar segurança a indigenistas e justiça por Bruno e Dom

Trabalhadores da Fundação Nacional do Índio (Funai) anunciam paralisação nacional nesta quinta-feira, 23, em protesto pelas mortes do colega Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips. Eles também cobram segurança para atuar em áreas isoladas como o Vale do Javari, região onde os dois foram assassinados, e pedem a demissão do atual presidente da Funai, Marcelo Xavier.

Em Brasília, indigenistas e outros servidores organizam ato em frente à sede da fundação durante a manhã desta quinta. Eles já estão em greve na capital federal desde a última segunda-feira, 20. Outros protestos estão previstos em unidades regionais do órgão ao longo do dia. Na Avenida Paulista, em São Paulo, às 17h, está marcado um ato contra o marco temporal de terras indígenas e em apoio à greve.

Em manifesto divulgado, a categoria aponta que a gestão do delegado da Polícia Federal Marcelo Xavier, iniciada em 2019, “demonstra não possuir qualidade mínima para gerir a política indigenista”. No texto, o grupo ainda afirma que as mortes de Bruno e Dom têm como pano de fundo um desmonte da Funai e que “todos os órgãos públicos essenciais passam por situação semelhante” no País.


Estadão Conteúdo / Foto: Werther Santana/Estadão

Whatsapp

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos