11 de Agosto de 2022

Trabalhadora é indenizada em R$ 5 mil por ser xingada de burra e 'cara de periquito'

Uma trabalhadora chamada de burra será indenizada em R$ 5 mil pela empresa em que trabalhava. Segundo a ação, a mulher era xingada e ofendida na frente de outros colegas de trabalho. No depoimento, ela contou que sua superior falava coisas como "caralh*, porr*, não dava para o marido de noite, mandava tomar no c*, burra, lá quem mandava era ela, tinham que fazer o que ela mandava". A decisão de condenar a empresa é da juíza do Trabalho Substituta Marcia Sayori Ishirugi, da da 12ª vara do Trabalho de SP - Zona Leste. A autora trabalhava em uma confecção e pleiteou indenização por danos morais pela postura de sua encarregada. As ofensas foram confirmadas por prova testemunhal. Leia trecho de depoimento da testemunha: "Chamava de burra, cara de periquito. Fazia isso gritando. Também dizia "put*, arrombad*, aqui quem manda sou eu. (...) Dizia alto para todo mundo escutar”. A juíza considerou que "a dor, a tristeza e o desconforto decorrentes da conduta da preposta da reclamada são presumidos, prescindindo de comprovação em juízo, pois se passam no interior da personalidade e existem "in re ipsa".
Whatsapp

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos