22 de Maio de 2022

Infectologista Robson Reis explica sobre os casos recentes de viroses na Bahia

Na manhã desta sexta-feira (13) o programa Microfone Aberto, da rádio Massa FM, com André Spínola, conversou com o médico Infectologista e professor da Escola Bahiana de Medicina, Robson Reis, para falar sobre os casos de viroses recorrentes na Bahia.

Segundo o infectologista, a recorrência tem sido maior em crianças devido ao retorno às aulas após muito tempo mantendo o distanciamento com o objetivo de combater a pandemia do Covid-19. “Esses episódios que estão acontecendo na cidade, principalmente em crianças, elas são viroses intestinais muito comuns, muitas vezes, nesse período de volta às aulas, que nós sabemos que estavam suspensas por conta do período de pandemia, e agora as crianças passam novamente a ter esse contato físico, então aumentam as viroses respiratórias e as dores intestinais que acabam tendo uma ocorrência maior”, disse.  

Já sobre a presença dessa bactéria em hospitais da Bahia, o médico esclareceu que desde 2016, ou até antes, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já vinha publicando uma série de documentos falando sobre o risco das bactérias multirresistentes, e elas chegam agora muito próximas da gente. “Essas bactérias que eram restritas aos hospitais de grandes cidades, elas começam a chegar até mesmo em hospitais do interior. Elas estão chegando cada vez mais próximas, cada vez mais evidentes, e, infelizmente, os antibióticos não tratam essas bactérias de forma tão eficaz, pois elas desenvolvem o que chamamos de resistência bacteriana. Então, o uso recorrente de antibióticos, muitas vezes até sem necessidade, por parte dos pacientes, ou até, infelizmente, prescrito por alguns profissionais de saúde, faz com que essas bactérias venham surgir”, esclareceu o professor infectologista.

Como dicas para evitar esse tipo de vírus ou bactérias, Robson Reis afirmou que os cuidados são os mesmo que a população adotou durante o período de pandemia do novo coronavírus. “É importante que as pessoas continuem com a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel. É importante higienizar as mãos antes de ir ao banheiro e, principalmente, depois. É importante também higienizar os alimentos e procurar fazer uso de água que tenha procedência conhecida”, alertou.

“Para os quadros de viroses intestinais, como tratamento, a gente vai pedir para o paciente se hidratar com 30 ml por kg ao dia, que já é significativo. O paciente precisa ter uma alimentação mais equilibrada, procurar fazer o uso de medicações sintomáticas e ficar atento aos sinais de gravidade, que seria: desidratação, diarreia com sangue, febre alta e uma piora do estado geral que [o paciente] já deveria procurar o serviço de saúde. Já em relação às infecções por bactérias resistentes, é utilizar antibióticos”, finalizou.

Foto: Reprodução

Whatsapp

Ultimas notícias

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos