05 de Julho de 2022

Suspeitos de carbonizarem corpo de motorista de aplicativo são presos e apontam nova motivação para crime; confira

A morte do motorista de aplicativo, que foi carbonizado no dia 13 de março, em Juazeiro, ganhou mais um desdobramento. Os dois jovens suspeitos de ter cometido o crime foram presos, nesta terça-feira (29), e, segundo a Polícia Civil, mudaram a versão do crime afirmando que a vítima morreu após reagir a um assalto. Inicialmente, ainda conforme a polícia, a dupla informou que a motivação do crime perpassou por uma dívida de drogas.

Contudo, essa versão foi desconstituída durante as investigações, pois foram constatados pontos de divergência entre as informações prestadas por um dos jovens e a perícia. Na ocasião, um dos suspeitos foi interrogado e afirmou que o plano inicial da dupla era fazer um assalto, e que ao anunciarem o roubo do veículo a vítima, identificada como Diego Araújo, teria se desesperado e tentado pegar uma faca. Portanto, o motorista acabou sendo esfaqueado pelos jovens após reagir. Ainda durante o interrogatório, o investigado afirmou que a decisão por atear fogo no carro e na vítima foi para dificultar a investigação para que não fossem identificados. A gasolina foi comprada em um posto 24 horas na cidade de Juazeiro.

O crime O motorista de aplicativo, Diego Nogueira, morreu carbonizado no dia 13 de março deste ano, no bairro Quidé, em Juazeiro. A polícia encontrou o corpo da vítima dentro do carro onde o crime aconteceu. Inicialmente, a polícia informou que a principal linha de investigação era de que a vítima tivesse sofrido um latrocínio, que é quando a pessoa é morta para ser roubada. No entanto, não detalhou quais pertences foram levados de Diego.

 

 

 

Bnews

Whatsapp

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos