03 de Julho de 2022

Polícia pede prisão preventiva de suspeito de matar indígena

A morte do indígena da etnia Pataxó, Vitor Braz de Souza, 22 anos, ganhou mais um desdobramento. Segundo a Polícia Civil, foi pedida a prisão preventiva do suspeito de ter atirado na vítima, na segunda-feira (14), na localidade de Ponta Grande, em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia. Além disso, um homem que estaria na companhia do atirador foi conduzido para a delegacia na terça (15), onde prestou depoimento.

Vale ressaltar que, apesar de não ter sido divulgado, o delegado Wendel Ferreira já teria informado que o autor dos disparos foi identificado na segunda-feira (15). Na ocasião, pelo menos cinco testemunhas haviam sido ouvidas. O crime Uma das jovens lideranças da região, Vitor Braz, morreu após reclamar do som alto durante a realização de uma festa, que acontecia no entorno da praia de Ponta Grossa. De acordo com os pataxós, a área onde acontecia o evento é um território indígena ainda não homologado. Segundo a Polícia Civil, o suspeito teria efetuado os tiros após Vitor reclamar do volume de um som. Após ser baleado, Vitor chegou a ser encaminhado para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

 

 

 

 

Bnews

Whatsapp

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos