22 de Maio de 2022

Confusão criada entre hidroxicloroquina e vacina é totalmente descabida', diz Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se posicionou de forma contrária à norma técnica da pasta e reforçou que o uso de hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19 não tem eficácia comprovada.

Durante participação no programa "Sem Censura", da TV Brasil", o médico cardiologista diz que "todos usaram" o medicamento na fase inicial da pandemia, mas que a persistência na discussão e que a "confusão" criada com a vacina é "totalmente descabida". "Essas medicações foram utilizadas no começo da pandemia e, na época, o uso era chamado de 'uso compassivo'. Todos usaram.

Posteriormente, se viu que, nessas situações, essa medicação não era mais aplicada e foi testada em outros contextos, né? Essas medicações, inclusive eu já falei, são medicações cujo o uso científico ainda não está comprovada, mas essa confusão que querem criar entre vacina e cloroquina é totalmente descabida", declarou Queiroga A manifestação antivacina foi feita em tabela no documento assinado pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Helio Angotti, uma liderança de ala do governo defensora das bandeiras negacionistas do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Angotti foi nomeado em junho de 2020 e à época ficou conhecido por ser um seguidor do guru Olavo de Carvalho, que faleceu nesta segunda-feira (24). O médico é formado pela Universidade Federal do Espírito Santo e é autor de livros contra o aborto. O uso da cloroquina e qualquer outra medicação como tratamento preventivo ou "precoce" da doença causada pelo coronavírus é descartada pela ciência.Outras drogas específicas estão em fase de desenvolvimento, mas ainda não foram testadas em larga escala.

Whatsapp

Ultimas notícias

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos