03 de Julho de 2022

Combateremos os estragos da reforma trabalhista no dia a dia de nossa ação, afirma Ana Angélica Rabello, coordenadora do Sindilimp-BA;

Diante da aprovação no Senado da reforma trabalhista, a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Pública, Asseio, Conservação, Jardinagem e Controle de Pragas Intermunicipal (Sindilimp-BA), através da coordenadora Ana Angélica Rabello, afirma que a categoria combaterá no dia a dia os danos que a reforma causará.

“O Senado rasga CLT, envergonha nação e aprova reforma trabalhista. A reforma não moderniza nem cria empregos, muito pelo contrário. Ao ampliar as possibilidades de ajustes individuais entre empregados e empregadores a reforma retoma a lei de locação de serviços. Um retrocesso sem tamanho e que combateremos nas ações diárias”, disse.

A sindicalista lembra que a situação dos trabalhadores em limpeza, em especial os terceirizados, já é de luta contra o desrespeito. “A tal reforma potencializa as más condições de trabalho que induzem ao assédio moral, às doenças e aos acidentes de trabalho. Agrava a completa despreocupação com a proteção da saúde do trabalhador no ambiente de trabalho”.

Ana Angélica Rabello conclui afirmando que os efeitos sociais serão sentidos assim que a reforma seja colocada em prática. “A precarização dos direitos sociais imposta pelos patrões e seus parlamentares subservientes, a falta de qualquer limite na exploração do ser humano, o fim na prática da Justiça do Trabalho, vai gerar uma insatisfação geral da classe trabalhadora e a revolta se dará. Se você não é patrão, perdeu com a reforma trabalhista. Quem paga para ver, paga mais caro. A revolta das trabalhadoras e trabalhadores será sentida a curto prazo. Nós vamos nos manter no caminho da luta em defesa dos direitos conquistados com muita luta”.

Whatsapp

Galeria

Bahia Farm Show apresenta exposição fotográfica sobre as belezas do Oeste da Bahia
Exposição aproximará startups agrícolas de investidores privados
Ver todas as galerias

Artigos