03 de Julho de 2020

Feminicídio cresce na Bahia em 2020; SSP quer 'raio-x' de medidas restritivas

O aumento dos crimes violentos na Bahia abarca também a violência de gênero. De janeiro a maio deste ano, 48 mulheres foram vítimas de feminicídio no estado, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). O número contabiliza cinco casos a mais do que o registrado no mesmo período de 2019.

Desse total, apenas seis ocorreram em Salvador enquanto os demais foram em diversas cidades do interior baiano.

Segundo o secretário da pasta, Maurício Barbosa, esses crimes representam um grande desafio para a SSP-BA e para toda a rede de proteção à mulher. "Eu tenho pedido à minha equipe pra que a gente consiga distinguir dentro desse universo de feminicídio aqueles casos onde já houve um registro anterior ou há tentativa de obtenção, por parte da mulher, de medida cautelar perante a Justiça", pontua Barbosa em entrevista ao Bahia Notícias. 

O objetivo é obter um "raio-x" da situação que possibilite adotar medidas de prevenção e de repressão diferenciadas. Ele espera ter esses dados em mãos dentro de 15 dias.

Concomitante a isso, delegacias estão com quadro de funcionários reduzido e as mulheres têm encontrado dificuldades para registrar queixas. Isso pode explicar a redução nos crimes de ameaça (58,2%), estupros (46%), injúrias (76,8%) e lesões corporais (33,2%) contra mulheres registrados no primeiro mês da quarentena, de 16 de março a 16 de abril.

Diante desses e outros indícios de subnotificação, uma comissão da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) propôs a criação de uma delegacia digital de atendimento à mulher (veja aqui), como já ocorre em outros estados.


Foto: Dzilam Mendez / ONU Mulheres

Whatsapp

Galeria

Barcelona finaliza contratação de Neymar, diz TV
Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Ver todas as galerias

Artigos