16 de Dezembro de 2018

Rio tem 150 pontos de uso de crack que reúnem 2 mil dependentes da droga; veja mapa

 

Prefeitura do Rio identificou 150 locais da cidade nos quais dependentes químicos se reúnem para fazer uso de crack e outras drogas. Estes pontos têm, ao todo, 1.939 pessoas. Os dados constam do levantamento mais recente da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) sobre o tema, realizado entre o fim do ano passado e início de 2018.

 

 

A Prefeitura do Rio identificou 150 locais da cidade nos quais dependentes químicos se reúnem para fazer uso de crack e outras drogas. Estes pontos têm, ao todo, 1.939 pessoas. Os dados constam do levantamento mais recente da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) sobre o tema, realizado entre o fim do ano passado e início de 2018.

No primeiro capítulo de uma série de três reportagens sobre a questão do crack na cidade do Rio de Janeiro, foi divulgado um mapa da concentração de usuários por bairros (veja no link abaixo), o debate sobre a internação compulsória de usuários que divide autoridades e flagrantes do uso da droga em plena luz do dia.

 

 

Embora alguns desses lugares popularmente tenham ficado conhecidos como "cracolândias", o termo é refutado pela administração municipal, que classifica os lugares como "cenas de uso de drogas".

A pasta evita usar o termo "cracolândia" para os pontos de uso argumentando que, em São Paulo — onde nasceu a expressão —, o termo é usado para designar "uma área com mais de 400 dependentes químicos". A secretaria frisa que, no Rio, não há nenhum local semelhante ao que existia na região central da capital paulista.

Mesmo assim, as aglomerações de dezenas de usuários em alguns lugares do Rio preocupam autoridades e moradores. O caso mais crítico é observado na Rua Leopoldino de Oliveira, em Madureira, na Zona Norte.

O local é o ponto da cidade onde há mais usuários de drogas reunidos, no qual equipes da secretaria constataram estarem 65 dependentes químicos. A Rua Luiza Vale, em Del Castilho, também na Zona Norte, é o trecho que aparece em segundo lugar no levantamento, onde se reúnem 62 pessoas.

 

Prefeitura do Rio identificou 150 locais da cidade nos quais dependentes químicos se reúnem para fazer uso de crack e outras drogas. Estes pontos têm, ao todo, 1.939 pessoas. Os dados constam do levantamento mais recente da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) sobre o tema, realizado entre o fim do ano passado e início de 2018.

 

Fonte: G1

Whatsapp

Ultimas notícias

Galeria

Imagens de 'close' inédito da Grande Mancha Vermelha de Júpiter
FOTOS HISTÓRICAS QUE VOCÊ PROVAVELMENTE NUNCA VIU
Apresentações e treinos no Vitória
Ver todas as galerias

Artigos